Adoro a Simplicidade das Coisas...

Uma das coisas que mais me aborrece é a má língua das pessoas e a tremenda injustiça que cometem sempre ao desprestigiar o funcionalismo público deste país, senão atentem:
9:00 da manhã.
Ainda bem que vim cedo, preciso despachar-me. Assim trato disto e ainda consigo fazer render o resto do dia.
9:10h, devo ter-me enganado, isto provavelmente abre mais tarde do que pensava. Deixa ver o horário ali na porta… 9:00h…
-Bom dia, venho pedir uma declaração de…
-2º andar, 3ª porta.
Simpático o senhor. Gostei especialmente da forma bem disposta com que me respondeu ao “bom dia”.
No elevador há mais duas pessoas. Entro. “Bom dia”! Eu deveria aprender português. É muito aborrecido ver as pessoas olharem para nós sem fazerem a menor ideia do que significa “bom dia”.
3ª porta. Estranho, está fechada. Com toda a certeza a fechadura avariou e a funcionária andará por aí a tentar resolver rapidamente o problema. Ah já está, óptimo.
-Bom dia.
Do lado de lá uma senhora fala ao telemóvel. É de certeza um assunto urgente. Espero que não seja nada de grave. Aguardo. Pronto parece ter terminado o telefonema, agora é só dar tempo para que a senhora guarde o telemóvel na mala, tire a carteira, verifique o comando do ar condicionado, dispa o casaco…
-Bom dia.
-Tem de esperar pela minha colega que trata disso.
Ahh! Gostei muito mais do “bom dia” desta funcionária. Um bom dia dito com uma voz firme soa muito melhor. E acho muito bem que não se meta no trabalho da colega. Não tem nada que saber o que eu ali vou fazer. Ora essa, seria uma tremenda intromissão, incompetência e sabe-se lá mais o quê. A colega já vem. Está só um pouco atrasada. Mas toda a gente tem o direito de estar atrasada. Afinal ainda agora a manhã é uma criança. 9:25!
Pronto chegou.
-Bom dia, venho pedir uma declaração de…
-Essas declarações são no 1º andar.
Exacto. Foi precisamente o que o senhor da recepção disse. Eu tenho uma tremenda mania de não ouvir bem.
1º andar. Guichet da porta em frente ao elevador. Do lado de lá 3 secretárias e uma funcionária em cada uma.
-Bom dia.
Eu tenho mesmo de aprender a língua deste país. Começa a tornar-se incomodo isto.
-Bom dia, venho pedir uma declaração de…
-Um momento.
Quase 10 minutos. Não foi um momento muito longo, ainda bem. A senhora da secretária lá do fundo veio atender-me.
-Essas declarações são nos serviços do… 2º andar última porta.
O recepcionista sempre tinha razão. 2º andar. Muito bem… última porta.
-Bom dia, venho pedir uma declaração de…
-Preencha este impresso.
O “bom dia” desta funcionária é excelente.
-Ah mas para essas declarações não é este. É este. A senhora não explicou que a declaração era para…
-Tem toda a razão, desculpe. Eu não expliquei para que era a declaração. Isso faz a toda a diferença.
Que bom. Gosto de preencher impressos. Treino imenso a minha capacidade de fazer cruzinhas.
-Tem de ir pagar na tesouraria.
A tesouraria fica no 1º andar. Ainda bem. Já tinha saudades de viajar de elevador.
-Bom dia, venho pagar isto.
-Não tenho troco de 10 €.
Olha… nem eu! Mas em compensação não me importo nada de dizer “bom dia” de novo.
-Apresente este recibo e este papel no 2º andar.
2º andar. A senhora simpática que me atendeu? Já não a vejo. As outras duas estão ocupadas a conversar. É assunto importantíssimo, não tenho a menor dúvida porque de vez em quando uma delas abre o saco da Zara que tem na mão e a outra espreita lá para dentro.
-Já paguei, está aqui o recibo e o papel.
-É com a D. X na porta ao fundo do corredor.
Porta ao fundo do corredor. Que chatice tenho duas pessoas à frente. Uma delas demora mais um pouco, tem de perguntar pelos filhos da senhora que a atende, contar que viu a Y o mês passado e que a Y está mais magra e que pintou o cabelo de loiro, que lhe fica muito bem…
-Bom dia, a D. X?
-A D. X hoje não está.
-Mandaram-me apresentar-lhe o recibo…
-Dê cá.
20 minutos. Não demorou muito. Apenas 20 minutos!!!
-Está pronta dia 30 de Janeiro. Tem de apresentar este papel e o CC.
-30 de Janeiro??? Mas isso é mais de 1 mês!!!
- Pois mas agora mete-se o Natal, o Ano Novo, demora mais tempo. Olhe, venha dia 26 talvez já esteja pronto. É melhor telefonar primeiro.
-26 de Janeiro??? 26 de Janeiro??? 26 de Janeiro????
E para que andar telefono???.
Não percebo o ar abismado da Senhora face à minha pergunta, mas decididamente…
Regresso à recepção.
-Bom dia de novo. Quero falar com Z em que andar é?
-Tem marcação?
-Não. Só quero saber o andar.
-Sem marcação não sei se pode. Vou ligar à secretária. O seu nome?
...
-Tem de fazer marcação.
Chega. Pego no telemóvel. 
-Ouve lá em que raio de andar estás tu? 6º andar? Sim estou aqui no R/C ou no 1º andar ou no 2º andar ou o raio que o parta!..
...
-Que fazes aqui?
-Vim pedir esta declaração e... blá blá blá...
Ao telefone: 
-A D. X está aí? Não? Olhe está aí um pedido de declaração que entrou agora em nome de… diga ao P para a passar que eu já aí vou.
-Anda vamos beber um café.
...
2º andar.
-O senhor P já levou para o gabinete do doutor A. António desculpe mas é tanto serviço…
...
6º andar. A secretária.
-Bom dia, desculpe, não sabia que era o António que estava na recepção.
...
No gabinete. Chega uma das senhoras do saco da Zara. 
-Bom dia, aqui está a declaração. Querido António desculpe não o reconheci.
...
Desço o elevador enquanto olho o raio da declaração. No 1º andar entra o senhor P.
-Bom dia meu caro António como está? Porque não se identificou logo quando foi pedir isso?
“Ahh era preciso?
Caminhávamos ambos para a saída. O recepcionista.
-Bom dia Sr. António. Desculpe à pouco, mas não o reconheci.
-Ora não tem importância alguma! Eu também sou Comediante!!! 
11:50h. Bom dia!...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Bem Vindo...